caminho de fatima

Considerada a maior cidade de peregrinação religiosa em Portugal, Fátima é também ponto de turismo, independentemente das convicções religiosas de cada um. Há locais de visita obrigatória para quem quer explorar Fátima e a sua história.

 

CAPELINHA DAS APARIÇÕES

Assim que chegar não deixe de visitar a Capelinha das Aparições, considerada por muitos o “coração” do Santuário. O simbolismo da Capelinha remonta até às Aparições aos 3 Pastorinhos. Das seis aparições, cinco aconteceram neste local. E, por indicação de Nossa Senhora do Rosário de Fátima haveria de ser edificada uma Capela em sua honra. A Capela fora construída em 1919 e restaurada em 1923. Desde então, sofreu algumas alterações, mas mantém os traços originais e característicos.

 

LOCA DO ANJO

Da Capelinha das Aparições pode seguir caminho até Valinhos (caminho que os Pastorinhos faziam para irem de Aljustrel até Cova da Iria, onde fica o Santuário) e visitar a Loca do Anjo ou Loca do Cabeço.  A primeira e a terceira aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos aconteceu neste local. A colina onde o “Anjo da Paz” apareceu chamava-se Cabeço, daí o nome que também se dá à Loca do Anjo.

 

BASÍLICA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

Se está no Santuário, um dos pontos obrigatórios é a Basílica de Nossa Senhora do Rosário. Local onde os Pastorinhos avistaram um relâmpago, a 13 de maio de 1917, que fez com que juntassem o rebanho, para regressarem a casa, com receio que chovesse. Tem 14 altares laterais e em cada um está representado um mistério do Rosário. Os restos mortais de Lúcia, Jacinta e Francisco estão neste local repousados.

 

IGREJA DA SANTÍSSIMA TRINDADE

No extremo oposto à Basílica encontra-se a Igreja da Santíssima Trindade. Esta foi construída, em 2007, pela necessidade de albergar o elevado número de peregrinos, que em dias de grande afluência, pretendiam assistir às celebrações no Santuário. É uma das imponentes construções portuguesas. Com capacidade para 8500 lugares, é o quarto maior templo do mundo em capacidade.

 

VIA-SACRA DO CALVÁRIO HÚNGARO

Mesmo no início na Rotunda Sul encontra um acesso pedonal até Valinhos e Aljustrel, a este chama-se a Via-Sacra do Calvário Húngaro. O Calvário surgiu de uma ideia do Padre Kondor, pároco que esteve ligado à causa dos Três Pastorinhos de Fátima, numa época em que a Hungria, estava sob o regime comunista, onde a Igreja era perseguida. O espaço foi patrocinado pelos refugiados húngaros e inaugurado em 1964. A construção do Calvário é considerada “um dos sinais salientes do seu profundo amor e gratidão à Mãe do Céu que apareceu em Fátima”.

 

CASAS DOS 3 PASTORINHOS

Foi na pequena aldeia de Aljustrel que nasceram os três Pastorinhos: Lúcia, Francisco e Jacinta. A casa dos irmãos Francisco e Jacinta, assim como a casa de Lúcia podem ser visitadas. Estas foram convertidas num museu que retrata o modo de vida local no início do século XX. A dos irmãos foi adquirida pelo Santuário em 1996. Já a casa de Lúcia, local onde se fizeram os primeiros interrogatórios aos videntes, foi oferecida pela Irmã, em 1981. O Santuário só veio a tomar posse em 1986.

Mesmo ao lado da casa da irmã Lúcia fica a Casa – Museu de Aljustrel. A apenas 2km do Santuário faz parte do primeiro núcleo museológico permanente do Santuário de Fátima. O edifício está instalado na antiga residência de Maria Rosa, madrinha de batistmo da irmã Lúcia.

 

MUSEU DO SANTUÁRIO

Se está em Fátima não pode deixar de visitar o Museu do Santuário. Lá pode encontrar o espólio de pendor histórico, artístico e etnográfico, assim como testemunhos das peregrinações e relíquias relacionadas com as Aparições e dos seus protagonistas. No edifício da Reitoria do Santuário de Fátima, pode ainda visitar a Exposição permanente “Fátima Luz e Paz”, onde se encontra parte do espólio do Museu do Santuário de Fátima, a Coleção de Ourivesaria, de Têxteis e de Escultura.