caminho de fatima

O Caminho de Fátima é um itinerário de Fé mas que simultaneamente lhe permite descobrir as tradições e cultura de um povo milenar.

 

Quando se evoca Fátima é impossível não mencionar as Aparições de Nossa Senhora, em 1917, aos três pastorinhos: Lúcia, Jacinta e Francisco. Durante seis meses consecutivos, ao dia 13 de cada mês, aquela que ficou conhecida como a Nossa Senhora do Rosário apareceu às três crianças, transmitindo “uma mensagem de oração e penitência para o mundo”. Apelava ao sacrifício, à oração diária e à conversão.

Nossa Senhora do Rosário indiciou “Quero que façam aqui uma capela em minha honra”. E em 1919, ergue-se, em Cova de Iria, a Capelinha das Aparições.

Fátima foi-se edificando perante o “fenómeno” das Aparições.  No entanto, só em 1930 é que as Aparições de Fátima foram declaradas “dignas de crédito”. Todos os anos milhares de peregrinos rumam até ao Santuário à procura da Renovação, da Transformação interior, de respostas e de milagres. Cumprem-se promessas, estabelecem-se outras. A Fé, a Religião e a devoção conduzem os fiéis ao proclamado Caminho de Fátima.

Muito mais do que a religião inevitavelmente inerente a Fátima, não podemos deixar de mencionar o Caminho feito por aqueles que procuram espiritualidade, por aqueles que procuram encontrarem-se e por aqueles vão ao encontro do Simbolismo.